Rega-me!!! Ou Cabeça florada, a ser aguada

Como meu corpo se relaciona com a cidade? Como a cidade se relaciona com o meu corpo? Como rego [am-me] as flores? Um tanto de afeto e sensação (…) Porque sou um vaso de flor!!! Quanta água coloco (am)? Movo (em) os vasos? E falo (am) comigo? Ou silenciam-se? Reagem? “Mas que bobagem as rosas não falam”!!! Mas existi um rastro de afetividade, que se quiser pode compartilhar comigo. E da água que escorrer pelo meu corpo, o quanto marca o chão, e o residual vira arte, colore o chão. Quando o resíduo pinta o chão… Arte ambiental, política, interativa/relacional, afetiva…
Duração: 30 minutos
Local: ruas, avenidas, calçadas, feiras (lugares não teatrais/ou que a teatralidade possa ser expandida para o cotidiano)

Currículo
Zé Pereira (José Arnaldo Pereira, ou somente, José Arnaldo) reside em Aparecida de Goiânia, Goiás. Pisciano (Ascendente em Libra). Preto. Sexualidade e gênero, não normativos. Performer. Psicólogo (PUC-GO). Estudou: Gênero, Direitos Humanos e Cidadania (UCN – Chile), via bolsa SANTANDER Universidades. Técnico em Artes Dramáticas (ITEGO-Basileu França) na mesma instituição cursou Formação em Interpretação Teatral. Licenciando em Dança (UFG). Participou dos grupos de teatro N.E.C.T.A.R., Corpo Cênico e Núcleo Insônia. Prestou serviços para o grupo Arte e Fatos (PUC-GO); e Arte & Fogo. Participou de quatro espetáculos: In-Sônias, Multitud (em residência, com a direção Tamara Cubas), Corvas, e Obrigado (intercâmbio com Kaos Imaginário, Londrina, PR). As duas últimas produções pela Cia. Novo Ato a qual integra desde 2011, e nesta cia. é co-coordenador do Núcleo de estudos e práticas: Invenções Dramatúrgicas. Colaborador com duas dramaturgias no livro (IN)venções Dramatúrgicas, da Cia Novo Ato. Realizou projeto de Instalação Cênica em Walt Whitman, em uma parceria dos grupos Interartes e Carpintaria Cênica. Nome citado no livro de dramaturgia Trilogia Novo Ato (Marilia Ribeiro) e no livro Memória da Cena teatral Goiana I (Gilson Borges). Criador/coordenador dos projetos: Lavando roupa suja, em público!!!; e Cruzamento. Coconstrutor do Núcleo de Arte Indisciplinadas: ENTRE[COR-pós]. Realizou diversas performances e produções contemporâneas, coletivas e individuais. Realizou cursos/oficinas com: Renato Ferracini (Grupo de Teatro-LUME); Fernando Aleixo (Teatro República Cênica); GIRADANÇA (RN); Alejandro Ahmed e Mariana Romagnani (Cena 11 Cia. de Dança); Corpos Informáticos (DF). Diretor/Coreografo do vídeo-dança Ensaio sobre O’ MAR; e do vídeo-experimentos A ponte e Galinheiro. Participou do vídeo-clip Jardim de meu País, da banda Asas de Aquarela. Escreveu artigo sobre Performance urbana/pública, gênero e posicionamentos para revista RUARADA (Revista dos grupos Matulão e Fabricantes- SP). Atualmente aguarda publicação aceita de seu artigo “TRAMAS: ARTE DA PERFORMANCE; CORPO POLÍTICO; GROTESCO, MONSTRO E ABJETO”, para o livro Performances Culturais: Abordagens Interdisciplinares, do programa de pós-graduação Interdisciplinar em Performances Culturais, UFG. Se dedica a construção performática de arroboBOI e “O peso de construções socioculturais sobre mim e estratégias de alterá-las”. Além de manutenção de seu blog: <http://entreperformancearteeestudosculturais.blogspot.com/>. Investiga continuamente, “Corpos Sujos”, biopolíticas corporais [diversidades, pluralidades e diferenças] e processos de higienizações sociais, bem como discussões sobre as espacialidades ditas “públicas”. Trabalha na Associação Espaço Vida. Auxiliar Educativo, efetivo (SME). Participa de diversos eventos e festivais, nacionais e internacionais na qualidade de artista-provocador.